quinta-feira, 15 de março de 2012

Nossa Velha e Querida Lorena

Uma nova onda de saudade chega sorrateira ao meu coração!

Lembranças doces de uma infância tranquila e uma adolescência cheia de sonhos, repleta de momentos alegres, descontraídos, sadios!
Minha velha e querida Lorena!       
Cheguei aqui ainda menina, com oito anos, na estação ferroviária.
Chegava para uma nova vida, ao lado de meus pais e irmãos! Cheia de expectativas!

Em frente a estação ficava o Hotel Guarany, que pertencia aos tios de minha mãe e onde papai iria trabalhar. Os tios eram espanhois, muito queridos e conhecidos na cidade: o tio Pepe e o tio Santiago.


Estação Ferroviária de Lorena- hoje Casa do Artesão
Sentia meu coração bater forte, tudo era novo e estranho para mim... sentia medo... mas aos poucos fui me afeiçoando a esta cidade, que nos acolheu, e em pouco tempo era como se aqui tivesse vivido toda a minha vida.

Eu me sentia livre, podia sair com a minha bicicleta pela cidade, sem medo. Andava pelas ruas nos dias de chuva (quando saia da escola), tirava os sapatos e vinha chutando as águas, brincando com elas, com prazer!  Deixava que a chuva me molhasse inteira, mesmo quando tinha um guarda-chuva. Chegava em casa "pingando",  mamãe ficava brava, me mandava correndo para um banho quente!
"- Vai ficar doente, Neinha!"

Igreja matriz de NS da Piedade.
Lorena da Sra da Piedade!
Situada entre a Serra da Mantiqueira e Serra da Bocaina,  debruçada no verde vale do Rio Paraíba do Sul!
Esquecida, travada em seu progresso pela incompetência dos seus políticos!
Quem conheceu Lorena há cinquenta anos atrás,  poderá notar que quase nada mudou.

São muito queridas as lembranças do Grupo Escolar Gabriel Prestes;
do catecismo no lar das Irmãs de Auxiliadora, no Largo do Rosário;
das missas na Catedral,...minha primeira comunhão;...
do meu querido colégio Arnolfo Azevedo,  que era abrigado pelo belissímo Casarão Conde Moreira Lima, no Largo da Matriz, e onde atualmente funciona a Casa da Cultura de Lorena.



Prefeitura Municipal e Biblioteca



Saudades da Biblioteca Municipal, também no Largo do Rosário, onde passei maravilhosos momentos da minha vida. Sinto que o magnifico casarão que a abrigava tenha sido demolido.

Rua das  palmeiras imperiais.
                               
Muitos anos vivemos numa casa modesta próxima à Rua das Palmeiras, grandes e queridos amigos ali fizemos: o Manoel, o Alan, a Heloísa, a Mazinha...a Maria Inês e a Bel, a Ludovina, a Angélica,...a Nancy, a saudosa Delizete, o Dagoberto...

Ah! Caminhar pela rua das Palmeiras diariamente... Meu pensamento voa e se detém em cada passo naquela avenida, vejo-me menina, tocando aqueles caules imensos, encantada com a imponência de seu porte.
Lorena, Terra das Palmeiras Imperiais!       

Não posso deixar de tornar a me referir ao meu amado Arnolfo Azevedo, colégio em que me formei e passei os melhores momentos da minha juventude!

Saudades da praça Arnoldo  Azevedo, com o chafariz de águas coloridas que dançavam ao som de lindas músicas, enquanto as mocinhas desfilavam no passeio, admiradas por seus "flirts". Onde foi parar aquele maravilhoso chafariz?
                               

O Nosso Cinema,  era programa obrigatório de Domingo; hoje não existe mais, virou Casas Bahia.
O CLUBE COMERCIAL DE LORENA era o point da juventude da época! Ficava numa esquina da praça, onde hoje se localiza o banco Santander.
Era onde íamos a bailes e "brincadeiras",  dançávamos, mas sempre acompanhadas  e severamente vigiadas por nossas mães, em posição estratégica, acomodadas na sacada acima do salão.
                                                                                                                                                                                                                                                                                                   
                                                     
Naquele tempo  iniciei a minha carreira de "manequim".
Eu era uma garota tímida, insegura.
Quando me convidaram para participar de um "desfile de modas", pensei que deveria haver algum engano.  - "Quem? Eu? Tem certeza?"
Parecia um sonho! Desfilando pelo salão! Todo aquele "glamour", era o centro das atenções...eu... uma menina simples, uma modelo que não usava maquiagem, cabelos lisos e longos...

Uma queda imprevisível!

Não esqueço de uma vez,  quando descia os degraus do palco para  entrar no salão, uma torção no tornozelo me fez cair. Nem sei como tudo aconteceu em seguida. Era como se tudo tivesse acabado! Não haveria mais oportunidades para minha vida! Sentia uma vergonha imensa de todas aquelas pessoas que estavam ali!


Vi-me no vestiário, com muita gente ao meu redor. Diziam que não precisaria voltar ao desfile se não quisesse, mas eu havia assumido um compromisso, estava apenas começando o meu desfile. Enchendo-me de coragem, após me recuperar da dor, voltei à passarela!
Foi um momento inesquecível, cheguei a conclusão de que o Ser Humano é bom, é solidário! Via quase entre lágrimas, as pessoas, de pé, me aplaudindo.

A solidariedade contagiante!

A emoção foi indescritível! Daquele dia em diante, passei a confiar muito mais em mim e nas pessoas. Não tinha mais medo delas. Compreendi que as dificuldades têm que ser enfrentadas! Que cada um tem seus medos e inseguranças com relação ao outro, que como nos, têm suas fraquezas e defeitos, que também cometem erros e tropeçam como nós. O que importa é que quando for necessário estendamos as mãos para acolher.

A esta querida Lorena que me acolheu, o meu eterno agradecimento. Que eu ainda possa um dia retribuir a todo esse amor!

26 comentários:

  1. Ah! Lorena, dos anos 60! Foi na praça Arnolfo Azevedo que conheci a mulher que veio a ser a mãe dos meus filhos, casualmente sua irmã, Sidnéa! O romantismo estava sempre nos ares daquela praça!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo... Amei seu artigo. Sabe uma coisa de que sinto a maior falta todas as vezes em que passo por aí? Aquela fonte luminosa redonda que tinha na praça, que jorrava água de todas as cores... Era linda! Porque os políticos não valorizam o que é belo, não conservam o que faz parte da história... Roubaram um pedaço de minha infância... uma pena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Telma Querida
      Creio que foi exatamente por valorizarem a nossa maravilhosa fonte que ela sumiu. Dizem as "más linguas" que foi parar na fazenda de um dos "nossos" políticos Estou feliz por ter visitado o meu blog. Obrigada. Bjs

      Excluir
  3. Néinha,

    Lorena é um nome feminino de origem grega que significa energia e força (que foi o que todos nós recebemos lá), além de ser a querida Cidade que abrigou essas duas famílias (ou uma só, não sei) vindas da Cidade do Rio de Janeiro sem eira nem beira.
    Chegamos assim, exatamente como você descreveu, mas aos poucos ela nos acolheu, nossos pais passaram a ser cidadãos respeitáveis e aceitos naquela comunidade e nós colhemos os frutos desse respeito. Éramos muito bem acolhidos em todos os lugares onde íamos. Os colégios onde estudamos, o Comercial, de onde fomos sócios, a praça com seu ostentoso chafariz, os eventos cívicos, religiosos, políticos e festivos que ali se realizavam. O Cine Hepacaré (fuleirinho) e o majestoso Nosso Cinema, a pizzaria do Ballerini (programa quase certo dos sábados à noite), A sorveteria Hepacaré e seus flapês. A rádio onde íamos aos programas de auditório sobre os auspícios da água sanitária QUIBOA (ou KIBOA, não lembro a grafia), OS AMIGOS QUE LÁ FIZEMOS: Nancy, Alan, João Bosco, Dagoberto, Auxiliadora, Cida, Graça, Mário Sagu e tantos outros. O Hotel Guarany (e depois o Brasil) nossos Tios Pepe, Santiago e os Srs. Argemiro e Tito, a Dália, o Donizete (irão de sangue do René), o Abud, a Odaléia; o quartel do Exército que orgulhosamente ostenta o título de 1º. do 5º. RI que passamos a ter muita identificação não só em virtude de ter sido o primeiro Batalão de Infantaria brasileiro a ter desembarcado na Ítali, durante a 2ª Guerra Mundial, como também em virtude dos nossos entes queridos que lá serviram (Tio Marinho, Tio Tião e o Sgto. Vitorio Nani) e as exposições que eles faziam na praça todo dia 07/09 (que infelizmente terminaram em virtude de uma tragédia). Os cortejos fúnebres que subiam a Rua das Palmeiras, as cheias do Rio Paraíba que só não nos isolavam porque tínhamos a opção de subir pelo "morrão" do cemitério. Das idas de charrete para a escola em dias de muita chuva. O carinho e os óbvios presentes que recebíamos da Tia Enir. Acho que você não conheceu, mas o Oratório do Patrocínio São José, onde nós meninos aprendíamos civilidade, esportes, respeito mútuo e recebíamos formação religiosa (não sei se você lembra, mas eu fui coroinha na época em que as missas eram rezadas em latim e o Padre ficava de costas para o público – os coroinhas eram, vamos dizer, os intérpretes da liturgia). As festas de Santa Cabeça, as idas à Aparecida do Norte e os passeios de bicicleta nos finais de semana onde ora íamos para as bandas onde você tem a fazenda hoje, ora íamos para a Serra da Mantiqueira.

    Ah! Meu Deus, quantas lembranças, quanta saudade.
    Oh! que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!

    Jovens tardes, belos dias....

    "Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o Sabiá;
    As aves, que aqui gorjeiam,
    Não gorjeiam como lá.

    Nosso céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.


    Um beijo minha querida prima.

    Com amor,

    Bebeto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primo Querido:
      Suas lembranças completam as minhas, com a mesma saudade daquele tempo em que fomos tão felizes.
      Só tenho que retificar o nome do cineminha em que assistíamos aos flmes de bang- bang na sessão das 14:30
      aos Domongos: era Cine Rex. Hoje não existe mais, é um banco, Itaú, que lá funciona. Que pena! Td se acaba!
      Mais um beijo com aquele mesmo Amor
      Neinha

      Excluir
  4. Escrevi errado.

    O Donizete, garçon do Hotel Guarany foi IRMÃO de sangue do René, pois quando esse ficou uma vez muito doente, o referido doou sangue para ele.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Que lindo Blog sobre a minha amada Lorena, onde nasci e moro até hoje, e comovido com as suas palavras, os lugares marcantes, as lembranças.
    Muito obrigado por amar a minha "Terra das Palmeiras Imperiais" tanto quanto eu.
    Visite também o meu Blog: www.robertodelorena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Que lindo Blog sobre a minha amada Lorena, onde nasci e moro até hoje, e comovido com as suas palavras, os lugares marcantes, as lembranças.
    Muito obrigado por amar a minha "Terra das Palmeiras Imperiais" tanto quanto eu.
    Visite também o meu Blog: www.robertodelorena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Caro Roberto:
    Obrigada pelo carinho com que se referiu à esta postagem sobre a Nossa Querida Lorena e por se tornar um seguidor do meu humilde blog. Já visitei o seu, e retribui à sua gentileza tornando-me também sua seguidora, faço-o com grande prazer, principalmente porque descobri nele a oportunidade de conhecer o que mais me fascina nessa vida: a alma humana. Parabéns, seu blog é maravilhoso! Abçs

    ResponderExcluir
  8. sidnea, me comovi lendo seu artigo, é justamente tudo isso que vivi, em lorena, nasci aí, er sempre que posso voi revê-la e me revigorar. acho que fomos colegas, de ginásio, eu morava na rua das palmeiras, vc tem um irmão chamado Sidney?

    ResponderExcluir
  9. Cara Regina, desculpe-me por responder com tanta demora o seu comentário, isto se deveu a um sério problema de saúde na família, Obrigada pelo comentário carinhoso, e respondendo à sua pergunta, sou irmã do Sidney, sim. Lembro-me de uma família da rua das Palmeiras em que todas as irmãs eram "Reginas",seria vc uma delas? Bjsss

    ResponderExcluir
  10. Procuro por uma miga da minha mae há tempos sem sucesso e hoje encontrei o nome dela em seu blog. Odaleia de Souza foi funcionaria do hotel guarary e a unica coisa que tenho é um envelope amarelado de 1960 onde ela sita Alais silva. Caso alguem tenha noticias dela pro favor me envie. Minha mae era amiga de infancia da Odaleia no Rio de Janeiro, Vera Maria. meu email é borcard@terra.com.br

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito do seu blog, eu nasci em Lorena , mas com um ano de idade me mudei , tenho em lorenas avos materno e avo paternas, tios e prima, posta, quando crianca ja passei varias ferias , pesquei no rio Paraiba, fui nas feiras, brinquei no Oratorio, saudades de pipoca com queijinho, aqui onde moro nao tem , gostaria que voce postasse mais sobre Lorena , e coloca fotos antigas , que voce possa postar.
    obrigada

    ResponderExcluir
  12. Olá, Máira!
    Obrigada por sua visita e comentário! Foi um grande prazer!
    Vou preparar um post para atender o seu pedido. Há um em que postei várias fotos que você talvez reconheça "Lorena Esquina do Brasil".
    Não nasci em Lorena como você, mas amo muito esse lugar. Aqui eu cresci livre e feliz! Atualmente a cidade está se desenvolvendo um pouco mais, porém passou por longo período de estagnação. Obrigada, mais uma vez e seja sempre bem vinda.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  13. Sidnea...me comovi lendo sua historia de vida . parece a minha historia , na rua são Vicente de Paula ..bairro são roque ..antigo matadouro velho , a diferença e que cheguei a lorena com 15 anos ..como vai sua prima sueli e Zélia ....vc escreve muito bem , vc e uma pessoa muito importante . eu a admiro muito ....bjos !!!!

    ResponderExcluir
  14. Sidnea...me comovi lendo sua historia de vida . parece a minha historia , na rua são Vicente de Paula ..bairro são roque ..antigo matadouro velho , a diferença e que cheguei a lorena com 15 anos ..como vai sua prima sueli e Zélia ....vc escreve muito bem , vc e uma pessoa muito importante . eu a admiro muito ....bjos !!!!

    ResponderExcluir
  15. Obrigada Aparecida pelo carinhoso comentário! A Sueli é minha irmã, ela está bem, vive em Itatiba SP Quanto a Zélia, não me recordo dela,creio que você deve ter se enganado. Procurei referências em seu perfil, mas não consegui informações sobre você. Pena havermos perdido contato. Gostaria de ter notícias suas. Grande abraço

    ResponderExcluir
  16. É foi muito emocionante quando vc perguntou se eu Marília Auxiliadora Felix Porto era filha do Wilson e Aparecida, professora; e eu respondi que era eu mesma vizinhas da Rua São Vicente de Paula e que o destino fez com que mudassemos para Guarulhos onde minha mãe veio dar aula.Me lembro claramente das nossas casas.Eu e minhas irmas assistiamos televisão em sua casa.Brinquei muito.Me lembro da Nancy. Nao vejo a hora de dar aquele abraco que ficou solto nesses tempos .

    ResponderExcluir
  17. É foi muito emocionante quando vc perguntou se eu Marília Auxiliadora Felix Porto era filha do Wilson e Aparecida, professora; e eu respondi que era eu mesma vizinhas da Rua São Vicente de Paula e que o destino fez com que mudassemos para Guarulhos onde minha mãe veio dar aula.Me lembro claramente das nossas casas.Eu e minhas irmas assistiamos televisão em sua casa.Brinquei muito.Me lembro da Nancy. Nao vejo a hora de dar aquele abraco que ficou solto nesses tempos .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha amiga querida! Esse abraço é realidade, a amizade de tantos anos perdida no tempo, foi reatada, dias maravilhosos foram vividos por nós! Obrigada, Amiga por tanto carinho e dedicação! Não demore a voltar!Vc sabe, a minha casa estará sempre de portas abertas para recebê-la! Já estou com saudades! Bjs

      Excluir
    2. ÀS VEZES ME PEGO PENSANDO QUE TUDO FOI UM SONHO. EM JULHO/2016 VOCÊ ME LEVOU ATÉ A NOSSA RUA SÂO VICENTE DE PAULA E AS RECORDAÇÕES FORAM PASSANDO COMO UM FILME EM MINHA CABEÇA.AGRADEÇO A SUA ALEGRIA E VONTADE QUE TRANSPARECIA EM SEU ROSTO SEMPRE RISONHO AO ME APONTAR AS CASAS DOS VIZINHOS, ALGUMAS SITUAÇÕES QUE VIVEMOS NAQUELA EPOCA .A NOSSA LIGAÇÃO É MARAVILHOSA.

      Excluir
  18. Morei em Lorena de 59 até 63 dos meus 8 anos até quando completei 13. Morei na rua proximo ao Hepacaré, vizinho de um Sidney, com uma irmã chamada Sidneia e outra irmã, que não lembro direito o nome. A gente brincava no quintal da minha casa. A vizinha da frente chamava-se Nancy. Sempre me recordo do Sidney e do restaurante do pai dele perto da Estação. Voce é a pessoa/família que estou pensando? benedictowilsonporto@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Benedito! É uma imensa alegria ter esse contato com vc depois de tantos anos. Quiz o Destino que através de uma rede social eu conseguisse recuperar a minha amiga querida, Marília! E agora vc por esta página, retorna à minha vida! Estou mt feliz! Marília contou-me sobre a vida de vcs, meu desejo é poder reencontrar todos vcs. E mt em breve! Bjs

      Excluir
  19. Eu tenho algumas lembrancas de Lorena e da nossa casa na rua sao vicente de paula...poucas mas muito gostosas..nosso quintal enorme com pes de goiaba..manga e as plantacoes do nosso pai..como e bom relembrar...e sua mae sidneia ...sueli....nunca mais vimos ninguem. muitas saudades

    ResponderExcluir
  20. Respostas
    1. Olá, Beth! Que bom que vc veio! A Marília me falou de todos vcs. Quanta saudade daquele tempo! Espero que em breve possamos nos ver! Bjs

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...